segunda-feira, 30 de abril de 2012

Cá está mais uma linda história:


Conhecemo-nos no 6º ano. Era a altura dos namoros a brincar e eu quase todos os dias gostava de um menino diferente e não tinha problemas nenhuns em chegar ao pé de qualquer um deles e dizer "Gosto de ti! Queres namorar comigo?". Menos com ele. Já não sei como aconteceu, mas ele tinha vindo de França para viver em Portugal com os pais e lembro-me de me sentar ao seu lado e falarmos da Disneyland Paris. Eu sempre muito nervosa que ele se fartasse do assunto e ele, sei-o agora, a sentir o mesmo. Nunca lhe consegui dizer que gostava dele e por isso pedi a uma amiga que lhe fosse contar. Mal ela o fez senti que morria literalmente de vergonha. E se ele não gostasse de mim? Mas gostava e disse-mo. Pedi-o em namoro e namorámos um mês e meio (o que naquela altura era imeeeenso). Tinha 11 anos e tinha encontrado o amor da minha vida. Mas eramos crianças e não podíamos levar um amor tão sério e por isso o namoro acabou. Ele mudou de escola e eu nunca mais o vi nem tive notícias. Telemóveis na altura não existiam. :)
Ao longo dos anos tive as minhas paixões mas quando alguém me perguntava como seria o homem perfeito fisicamente, descrevia alguém igual a ele, sem me aperceber. Nunca mais tinha pensado nele.
Quando já andava no 3º ano da Universidade, numa festa de anos de uma amiga, reparei numa moldura que ela tinha com a nossa turma do 6º ano, à qual ela também tinha pertencido. Nessa foto, eu estava ao lado dele. E ela comentou "Olha tu e o Príncipe da tua vida". Ri-me. Está bem, está!
Uma semana depois, estava em casa dos meus pais a passar o fim-de-semana e o telefone toca. Era ele. Tinha regressado de França, para onde tinha voltado uns anos depois de nos separarmos, e como ainda tinha o número de casa que eu lhe tinha dado anos antes, tinha ganho coragem e tentado encontrar-me. Trocámos mensagens, combinamos um café. Quando fui ter com ele, admito, ia tão nervosa como se tivesse novamente 11 anos. E soube, mal o vi, ao longe, que estava tramada: tinha-me apaixonado outra vez por ele. E se ele não gostasse de mim??
Estivemos juntos 3h. Ao fim da primeira hora, já estávamos de mãos dadas como se não se tivessem passado anos nenhuns. Ao fim de 3h demos o nosso primeiro beijo.
Este é apenas o início da minha história. Este reencontro aconteceu há mais de 7 anos. Hoje ainda estamos juntos. :)
P.s. Quando nos reencontrámos, descobrimos que ambos guardavamos ainda as prendas que tínhamos oferecido um ao outro quando eramos crianças. Nunca nenhum de nós conseguiu deita-las fora. Assim como ele guardou sempre aquele número de telefone da menina de quem tinha gostado no 6º ano. Acho que era o destino

3 comentários:

  1. adorei esta história de amor! que sejam e continuem assim, muuuuuito felizes. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Linda mesmo V* também nos deliciamos ao lê-la! :)

      Excluir